Entrevista revista viva!Mais expectativas sexuais em relacionamentos recentes

Entrevista revista viva!Mais expectativas sexuais em relacionamentos recentes

Postado por mberaldo - sexta-feira 27 janeiro 2012 17:48
fantasias femininas,fantasias masculinas,sedução,sexualidade humana,sexualidade masculina

Viva!Mais – Vamos imaginar que a moça está se relacionando com um homem que já viveu muitos outros amores. Como ela pode descobrir o que ele mais gosta de fazer na hora H?
Lúcia Beraldo – Como em toda situação amorosa, creio que uma boa conversa é melhor do que ficar intuindo. Muitos problemas e desencontros são criados a partir do que um acha que o outro está ou não pensando, e passam a agir a partir do “achismo”. Então, deixar o assunto rolar ao telefone, conversas intimas ao pé do ouvido podem dar um estímulo interessante e ao mesmo tempo dar um norte para a aventura dos dois, ficando menos no improviso e com a obrigação de agradar.

Viva!Mais – Como descobrir o que ele não gosta?
Lúcia Beraldo -Vale a orientação acima.

Viva!Mais – Vale descobrir como era o sexo entre ele e a ex ou é melhor evitar o assunto?
Lúcia Beraldo -È melhor evitar. Ele está com você, e se focar o assunto nela, daí a pouco, na cama, você estará com ele mas pensando nela. Já pensou que absurdo?A sua competição com ela se tornará sua preocupação principal, tenderá a pedir a opinião sobre quem é melhor nisso ou naquilo, ou seja, você não o deixará esquecê-la. È melhor desencanar e construir a história de vocês.
.
Viva!Mais – Qual a posição infalível? Ou seja, aquela que todos os homens gostam e querem mais?
Lúcia Beraldo -A mulher de costas é bastante excitante aos olhos masculinos, de modo que todas as variações desta posição tendem a agradar muito. Mas é importante que a mulher não se esqueça de se estimular ou pedir que ele a estimule no clitóris durante a penetração, para que a excitação de ambos tenha a mesma intensidade.

Viva!Mais – Como ser ousada na cama?
Lúcia Beraldo -Dando atenção ao que está sentindo, a natureza é sábia e o corpo mostra o caminho. Isto está presente quando a mulher faz as coisas que tem vontade, sem pensar em como fica aquela gordurinha, o que ele vai pensar de mim, etc. Uma coisa que eu acho que todas mulheres devem saber é que aos olhos masculinos, mulher gostosa na cama não é aquela que tem corpo perfeito, mas aquela que eles percebem que estão fazendo sexo com vontade, que gostam de sexo e não estão fazendo para agradar, para conquistar. Aquela que faz para conquistar, uma vez conseguido, tende a não fazer mais. A que gosta quer sempre.

Viva!Mais – Como equilibrar os prazeres? Ou seja, agradar o parceiro e agradar a si mesma também.
Lúcia Beraldo -A primeira coisa é conhecendo a si mesmo. Buscar ajuda, se for o caso, mas resolver questões sobre o sexo, bloqueios, se existirem. Conhecer o próprio corpo, isto é, masturbar-se, e permitir-se ter pensamentos eróticos no dia-a-dia. Pense no sexo como uma estrada: É mais fácil a pessoa que segue a 60 km chegar a 120 do que uma que anda a 20 chegar a 120. Além disso, ter conhecimento da diferença entre limites e bloqueios. Uma pessoa pode não gostar de sexo anal, ou sexo a 3, troca de casais. E Se for esse o caso, fazer para agradar pode criar sérios problemas no relacionamento, pois a pessoa estará se obrigando a passar de seus limites. Já os bloqueios impedem a exploração da sensualidade, do aspecto lúdico do sexo. Isso sim é um obstáculo a ser ultrapassado.
.
Viva!Mais -Como criar um clima diferente na hora do sexo?
Lúcia Beraldo -Em Lugares diferentes da casa, horários diferentes, uso variados da percepção: ao som de músicas de agrado dos dois, misturando beijos com bebidas e alimentos de texturas e gostos diferentes (evitando colocar bebida alcoólica direto na genitais e nem beber demais, é claro)roupas diferentes também é bom, mas é preciso ter noção: gastar todas as fichas de uma vez só é desnecessário, e tira o foco do atrativo principal: você!

. Viva!Mais O que os homens mais gostam nas preliminares?
Lúcia Beraldo -Sexo oral – neles. È o que mostram as pesquisas sobre fantasias masculinas, e também são confirmadas pelo tempo dedicado a este tipo de prática nos filmes pornográficos. Considerando que a quase a totalidade dos filmes são dirigidos por homens e para homens, podemos ter uma noção de como o sexo oral agrada ao público masculino.

Viva!Mais – O que não pode e o que deve ser dito na cama?
Lúcia Beraldo -Comentários depreciativos sobre-a anatomia peniana deles, ou pergunta do tipo ” o que está acontecendo com você?” caso ele perca ou tenha a ereção diminuída em uma eventualidade. Se está tudo bem, é só buscarem se envolver em um clima sensual que a excitação retornará. Se colocar o foco no problema, aí é que ele a perderá de vez, por conta do constrangimento. È claro que, se isso estiver acontecendo recorrentemente, é melhor conversarem seriamente sobre o problema e procurarem ajuda profissional. Sobre o que dizer, é bom demonstrar o quanto está sendo gostoso fazer ou receber a carícia. Lembrando que esta informação não precisa ser exclusivamente verbal.

.Viva!Mais – O que surpreende um homem?
Lúcia Beraldo -Sexo oral espontâneo.

. Viva!Mais – O que fazer depois do sexo? Dormir? Conversar?
Lúcia Beraldo – Depende do momento dos dois. Não dá para estabelecer um padrão nisso.
.
Viva!Mais -Como a mulher pode se preparar para uma noite inesquecível com o gato?
Lúcia Beraldo -(depilação,lingerie, melhores perfumes…) todos os cuidados higiênicos citados, mas é importante já ir pensando em sexo durante o dia para entrar no clima. Enviar mensagens picantes pode ser uma boa idéia, até para saber se ele está no mesmo clima ou induzi-lo a tal.

Viva!Mais . Vale fingir o orgasmo apenas para agradar o bonitão?
Lúcia Beraldo -De jeito nenhum! Esse é o maior erro da mulher, pois com o tempo, o sexo se torna algo para o prazer dele, que ficará sem entender porque ela começa a se esquivar, já que também ”gosta”. Como em todo tipo de problema, fingir que não está acontecendo nada só piora as coisas.

Viva!Mais – Dicas gerais para superar a ex dele na cama:
Lúcia Beraldo -Desligue-se da outra, faça o melhor por você, para ser uma experiência boa para você! Não aposte tudo no seu desempenho sexual, pois sexo não é moeda afetiva, e acredite, um homem pode perfeitamente trocar uma excelente parceira sexual para voltar para a pessoa de quem ele sente falta. Além disso, quando a mulher se preocupa demais com seu desempenho, ela acaba perdendo o seu próprio timming para o prazer e desenvolvendo dificuldades de chegar ao orgasmo.
Maria Lúcia Beraldo
Psicóloga/sexóloga/terapeuta de casais

Pele retirada em circuncisão salva visão de bebê que nasceu sem pálpebras em Israel

Pele retirada em circuncisão salva visão de bebê que nasceu sem pálpebras em Israel

Postado por mberaldo - segunda-feira 16 janeiro 2012 20:10
sexualidade e família,sexualidade infantil

bebe

DA BBC BRASIL

Um enxerto da pele do prepúcio no lugar das pálpebras, realizado no hospital Kaplan, próximo a Tel Aviv, em Israel, salvou a visão de um bebê que havia nascido com um grave defeito nos olhos e corria o risco de ficar cego. A ideia foi do cirurgião Asher Milstein, especialista em ocuplástica, que decidiu realizar a operação exatamente oito dias após o nascimento do bebê, na data em que, segundo a tradição judaica, é feita a circuncisão em crianças do sexo masculino. Como o bebê, que havia nascido sem pálpebras, é de familia religiosa, era importante respeitar a tradição.

Em entrevista à BBC Brasil, Milstein explicou que a pele do prepúcio tem textura e espessura “idênticas” à pele das pálpebras e que ambas são as peles mais finas do corpo humano.

“A pele do prepúcio também é altamente adequada para esse tipo de operação, pois cresce de forma compatível ao crescimento do corpo”, acrescentou o cirurgião. O bebê, cujo nome não foi divulgado, nasceu no hospital Kaplan há cerca de 5 semanas.

A ausência de pálpebras, considerada um defeito raro, faz com que seja impossível fechar os olhos, provocando o ressecamento da córnea, que por sua vez leva à cegueira. Milstein diz que, inicialmente, considerou a possibilidade de enxertar pele retirada da região que fica atrás das orelhas –técnica geralmente utilizada em casos semelhantes.

No entanto, o bebê também apresentou um problema na região do nariz e pode vir a necessitar daquela porção de pele e de cartilagem para uma cirurgia futura. Por isso, o médico tomou a decisão inédita de utilizar a pele do prepúcio do próprio bebê, que seria retirada na circuncisão.

Milstein disse que consultou a literatura médica e encontrou apenas um precedente de utilização da pele do prepúcio para uma operação na região dos olhos, que ocorreu no Egito, há vários anos.

Depois da operação, os olhos do bebê israelense ficaram fechados por três semanas. Após a retirada dos curativos, a equipe médica constatou que o bebê enxerga normalmente. O médico afirmou que o sucesso da operação demonstra que a pele do prepúcio pode ser utilizada amplamente na área da cirurgia plástica, “inclusive em casos de homens adultos”.

Segundo Milstein, a manutenção do prepúcio “não é necessária” e em casos de ferimento, essa pele pode ser utilizada para cobrir áreas danificadas no corpo do próprIo paciente.

“Devemos ter a mente aberta para ideias novas”, disse.
fonte:

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/01/120104_israel_bebe_palpebras_gf.shtml

opinião :
A lovável atitude médica, além de manter a capacidade de visão do bebê, considera a utilidade das regiões genitais neste tipo de situação, removendo-os daquele conceito vitoriano de partes mais e menos nobres do corpo humano. Muitas pessoas não notam a semelhança entre a pele da vulva e os lábios – que inclusive é utilizada em reconstrução labial; exercícios de percepção da semelhança entre a textura da parte interna da bochecha e o canal da vagina é um importante aliado no tratamento do vaginismo (contrações musculares que causam dor na penetração ) e outras disfunções sexuais que envolvem uma percepção negativa do próprio órgão sexual.
Parabéns ao médico, à família da criança e boa recuperação ao bebê.

Combate à Pornografia Infantil

Combate à Pornografia Infantil

Postado por mberaldo - segunda-feira 9 janeiro 2012 20:08
sexualidade infantil

Pornografia infantil na internet liderou o número de casos encaminhados em 2011 à Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos, operada pela SaferNet Brasil, organização não-governamental especializada no combate a violações de direitos humanos na web. Foram 15.517 notificações ao todo, conforme indicadores divulgados no site da ONG.

O número corresponde a cerca de 36% das 42.662 denúncias acumuladas pela central durante os doze meses do ano passado. Destas, 22.305, mais da metade, são referentes a conteúdos publicados na rede social Orkut.

Diferentemente da pedofilia, perversão que leva o adulto a sentir atração sexual por meninos e meninas, a pornografia infantil é qualquer situação que envolva menores de 18 anos “em atividades sexuais explícitas, reais ou simuladas, ou exibição dos órgãos genitais de uma criança ou adolescente para fins primordialmente sexuais”. A Legislação Brasileira considera crime a conduta de “apresentar, produzir, vender, fornecer, divulgar ou publicar, por qualquer meio de comunicação, inclusive a Internet, fotografias ou imagens com pornografia ou cenas de sexo explícito envolvendo criança ou adolescente”.
Foram regstrados 15.517 notificações de casos de denúncias de pornografia infantil.

Esse tipo de violação tem sido, nos últimos anos, o mais denunciado à SaferNet, que atua em cooperação com órgãos como Polícia Federal e Ministério Público Federal.

Na comparação com 2010, entretanto, houve queda no volume de casos de pornagrafia infantil reportadas à Central, que, naquele ano, totalizou 32.255 denúncias em um universo de 68.319 notificações de suspeitas de crimes praticados no ambiente virtual.

Racismo

O segundo tipo de violação mais denunciado em 2011, a exemplo de 2010, foi apologia e incitação a crimes contra a vida, com 7.800 notificações. Na sequência, aparecem xenofobia (4.609), homofobia (4.519) e racismo (3.797). Este último, ao contrário dos demais, teve números superiores aos de 2010, quando foram feitas 2.889 denúncias.

Maus-tratos contra animais – cujos casos também aumentaram na comparação com 2010, passando de 2.262 para 2.640 -, neonazismo, intolerância religiosa e tráfico de pessoas são outras violações que figuram na lista da Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos.

Fonte: JB On-line

Mitos e verdades sobre higiene feminina

Mitos e verdades sobre higiene feminina

Postado por mberaldo - segunda-feira 17 outubro 2011 18:35
consultório sexologia,sexualidade humana

De nada adianta ter um relacionamento legal com o parceiro, ser descolada na cama se a relação com
o próprio corpo for uma espécie de auto-sabotagem, não é mesmo? mas muitas mulheres que se queixam de incapacidade de orgasmo, desejo ou excitação podem ter adquirido esta disfunção por conta de formas inadequadas de realizarem sua higiene íntima, facilitando a proliferação de fungos, alergias, inflamações e infecções que certamente interferem no ciclo da resposta sexual, causando ardência, prurido ou dor durante a penetração. Assim como em outras áreas da natureza humana, a higiene íntima tem seus mitos. Nas dicas a seguir, é possível conferir tudo que deve ou deve ser feito, desde a troca diária dos absorventes íntimos até a frequência ideal de higienização, sempre de acordo com as precisas dicas de especialistas da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), que criaram o 1º Guia de Conduta sobre Higiene Genital Feminina. Confira:

Faz mal usar sabonete íntimo diariamente.

Mito. Ao contrário. Com pH adequado ao corpo da mulher, os sabonetes íntimos são os mais recomendados para o uso diário, justamente porque não alteram o pH da flora vaginal. Os sabonetes comuns, por sua vez, costumam ser ácidos demais ou de menos para a higiene diária da mulher.

Absorventes perfumados podem dar alergia.

Verdade. O ideal, segundo os médicos, é usar absorventes sem fragrância, pois a ação de substâncias perfumantes pode causar ardor, alergias, coceira, fissuras externas e até mesmo dor na relação sexual.

Em dias de pouco fluxo, posso ficar com o mesmo absorvente o dia todo.

Mito. Mesmo que em pouca quantidade, o sangue menstrual é o ambiente perfeito para a reprodução de bactérias e fungos que podem causar doenças. Por isso, o ideal é a troca de absorvente a cada 4 horas.

Lenços umedecidos para a higiene íntima podem ser usados todos os dias.

Mito. Os lenços umedecidos são vantajosos, mas devem ser usados para situações de emergência. Além disso, sua aplicação deve ser suave, para não remover a camada protetora da pele.

O protetor de calcinha pode ser de uso diário.

Mito. O uso diário do protetor de calcinha pode provocar corrimentos, coceira e infecções, já que torna o local excessivamente quente e úmido, ambiente ideal para a proliferação de fungos.

Usar papel higiênico colorido ou perfumado é ruim.

Verdade. Assim como no caso dos absorventes internos perfumados, o perfume e a tinta do papel higiênico podem agredir a mucosa vaginal e irritá-la. Os sintomas mais comuns são ardência, coceira, dor ao urinar e dor na relação sexual. Por isso, o ideal é optar pelo uso de papel higiênico branco e sem perfume.

Sabonetes íntimos devem ser usados na parte interna da vagina.

Mito. Muitas mulheres cometem esse erro, mas o uso dos sabonetes íntimos (espuma) é apenas para a higiene da parte externa da região íntima e não deve ser utilizado para duchas vaginais (internas) nem para tratar infecções ou inflamações genitais. Se você tem algum problema como esses, o ideal é procurar um médico.

A frequência diária de higienização íntima é variável.

Verdade. De acordo com o clima, a frequência diária da higienização íntima muda sim. O recomendável é que ela seja realizada de uma a três vezes ao dia quando o clima é quente e uma vez ao dia quando o clima é frio.

Deve-se usar sabonete íntimo no período menstrual.

Verdade. O sangue altera o pH da região íntima e as glândulas sudoríparas (de suor) eliminam um odor mais forte nessa fase. Além disso, o uso prolongado de absorventes com película plástica externa é um fator agravante para o surgimento de uma irritação local. O uso do sabonete íntimo nessa fase ajuda a amenizar a situação.

Grávidas podem usar sabonete íntimo.

Verdade. Durante a gestação, o corpo da mulher sofre várias modificações devido à influência dos hormônios produzidos nessa fase. Na região íntima, existe uma maior produção de secreções que podem provocar um incômodo e, às vezes, coceira. O sabonete íntimo ajuda a manter a região limpa, sem agredir a camada protetora natural da pele.

fontes:
missali.site.med.br/fmfiles/index…::/Guia_de_Higiene_Feminina.pdf

http://www.facebook.com/groups/122747057831898/

Cuidados essenciais: como evitar riscos para crianças na internet

Cuidados essenciais: como evitar riscos para crianças na internet

Postado por mberaldo - terça-feira 11 outubro 2011 17:05
sexualidade infantil

Um estudo feito pela empresa de segurança Norton no ano passado já dá uma dimensão do problema: 62% das crianças e jovens que acessaram a internet no mundo tiveram pelo menos uma experiência negativa on-line.

A pesquisa, que ouviu 2.800 jovens de 8 a 17 anos em 14 países, mostra que 41% receberam convites de amizade por parte de desconhecidos em redes sociais, 33% baixaram pragas virtuais, 25% viram imagens de nudez ou violência e 10% foram convidados para encontros no mundo real.

Fica claro que, com o primeiro computador. surgem mais responsabilidades para os pais. Nas mãos da criançada, o equipamento pode ser uma janela para problemas.

Outro levantamento, divulgado ontem pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil, mostra que 21% dos pais ou responsáveis por crianças de entre cinco e nove anos não controlam nem restringem o que elas fazem na rede.

O estudo, feito nas cinco regiões do Brasil, em áreas urbanas e rurais, mostra que 40% orientam os filhos sobre o uso da web, enquanto 15% bloqueiam sites impróprios.

O tema merece bastante atenção. A Norton mostrou que as crianças brasileiras são as que mais passam tempo on-line. Na média, são 18,3 horas por semana, deixando para trás países como Alemanha e EUA.

Muitas são as fontes de perigos. O contato com o conteúdo impróprio, como violência e pornografia, talvez seja a mais conhecida delas. Uma pesquisa da Kaspersky, publicada no ano passado, mostrou que a cada minuto existem 3.000 tentativas de acesso a conteúdo pornográfico por parte de menores.

Já blogs e redes sociais potencializam o contato com estranhos e a publicação de dados pessoais. Em um estudo com 875 jovens brasileiros, a ONG Safernet mostrou que 73% deles compartilharam fotos e 80% revelaram o nome.

CIBERVÍCIO

Outros dois problemas podem ser o ciberbullying e o vício em internet.

Ainda segundo a Safernet, 38% das crianças sofreram ciberbullying. Ou seja, foram alvo de humilhações e ataques na internet promovidos por gente próxima, quase sempre colegas de escola.

Já a dependência em relação à rede é um problema que ataca cerca de 10% dos internautas de todo o mundo, estima Cristiano Nabuco, psicólogo que coordena um grupo do Hospital das Clínicas que trata dependentes da web.

Com a expansão do mercado móvel, mais uma frente de batalha surgiu para os pais: as compras indevidas em lojas de aplicativos.

Em fevereiro deste ano, a FTC, agência que protege os consumidores dos EUA, decidiu investigar a App Store depois de receber reclamações por parte de pais furiosos com compras acidentais.

Para combater tudo isso, não adianta só instalar um antivírus no computador. É necessário conversar e ouvir a criança, botar a mão na massa e navegar com ela.

Fonte:Folha Online

http://diganaoaerotizacaoinfantil.wordpress.com/2011/10/09/cuidados-essenciais-como-evitar-riscos-para-criancas-na-internet/

Sexo e humor

Sexo e humor

Postado por mberaldo - sexta-feira 2 setembro 2011 20:25
erotismo,sexualidade humana

Entrevista concedida à revista   Vida Natural,  Editora Escala, Ed. Setembro/2011

Vida Natural – “Fazer sexo influencia no humor? Porque ou de que forma?”

Maria Lúcia -”Sim, por motivos orgânicos e psicoafetivos. O ponto de vista orgânico, o ato sexual libera endorfinas que causam a sensação de bem-estar e relaxantes, além de exercitar músculos (braços, pernas, abdômen) e órgãos (coração e pulmão, por exemplo). Do ponto de vista psicoafetivo, um ato sexual satisfatório aumenta nossa autoestima e nossa autoconfiança, quando percebemos que somos desejáveis e capazes de causar prazer. Se for com alguém que desejamos e admiramos, então, nem se fala!”

Vida Natural  “- A pessoa que não faz sexo pode ter um humor mais instável ou ruim?

ML “-Depende do papel que o sexo tem para vida da pessoa.  Um religioso que sublima sua sexualidade não terá mal-humor, nem aquela pessoa que tem um desejo sexual muito baixo. Mas com certeza aquela pessoa que gosta de sexo, possui um parceiro ou parceira, mas tem uma vida sexual insatisfatória por conta do pouco interesse do outro, ou até de uma disfunção sexual, com certeza seu humor estará alterado. Isso porque a frustração sexual, como qualquer outro tipo de frustração, gera raiva. Assim, mesmo que a pessoa entenda que o outro não faz de propósito (como no caso de disfunções sexuais como a falta de desejo, na mulher, ou ejaculação precoce ou disfunção erétil, no homem), o/a parceiro/a ficará frustrado e essa raiva pode aparecer deslocada até em um copo que fica sujo em cima da pia. Além disso, essa raiva fará com que a pessoa fique mais sensível a tudo que já a irrita normalmente.  Daí para o mal-humor crônico é um passo.”

Vida Natural  “- Fazer sexo de manhã tem mais benefício? Por quê?”

ML “- Depende de cada um. Mas podemos considerar que é favorável, já que o principal hormônio do desejo sexual, a testosterona, é sintetizado á noite. Assim – em tese – podemos ter um desejo maior pela manhã. Mas a cultura  também influencia muito. Assim, somos condicionados a partir “pro crime” á noite, na vida de solteiros… e muitos levam isso pra vida de casados. Mas nem sempre funciona. O acúmulo de responsabilidades acaba fazendo com que, mesmo gostando de sexo e do parceiro, muitos casais façam menos sexo do que gostariam, porque chegam em casa cansados, preocupados, na maioria das vezes tem filhos para cuidar antes de se deitarem… Por isso, o sexo pela manhã é bom, já que a pessoa começa o dia bem, satisfeito consigo, e tudo o que ocorrer ao longo do dia já será lucro rs….”

Vida Natural  “- Existe uma freqüência para o sexo trazer bom humor?”

ML “-È mais um aspecto que depende de cada um.  Um sexo satisfatório com freqüência razoável para os dois deixará ambos satisfeitos e relaxados, o que redunda em um bom humor.”

Vida Natural – ” Que outras sensações ou comportamentos ou sexo proporciona? Por exemplo, disposição, energia, alegria etc.?”

ML -”Sim, dá mais disposição pelo que já comentei: é atividade física, dá mais vitalidade. Como trabalha a autoconfiança e auto-estima, nos deixa mais relaxados, também. Além disso, o sexo  não é a única forma , mas é a expressão mais direta do erotismo, que é a capacidade da pessoa se relacionar com o prazer sem receios. Por isso, as pessoas satisfeitas sexualmente possuem um brilho natural.”

novos códigos de conduta para evitar a sexualização precoce de crianças e adolescentes

novos códigos de conduta para evitar a sexualização precoce de crianças e adolescentes

Postado por mberaldo - quarta-feira 29 junho 2011 21:30
Sem categoria

* Entrevista concedida a Dayanne Garcia/ jornal Diário Regional JF- MG, em 29/05/2011

Diário Regional: Na segunda-feira seis, foi publicado no Reino Unido um polêmico relatório que propõe mudanças nos códigos de conduta da mídia e do comércio para evitar a sexualização precoce de crianças e adolescentes do país. O documento, encomendado pelo primeiro-ministro David Cameron e elaborado pelo chefe-executivo da União das Mães Cristãs, Reg Bailey, é uma espécie de “carta de intenções”, que alerta os varejistas sobre a venda de roupas com cortes adultos para pré-adolescentes (faixa que abrange jovens de até 16 anos), incluindo sutiãs de enchimento, pedem a retirada de anúncios com conteúdo sexual explícito das redondezas de escolas e aconselha a classificação de vídeos musicais por faixa etária.
O documento ainda pede a diminuição de imagens sexuais e violentas na televisão antes das 21h e medidas efetivas de controle de conteúdo para adultos na internet, com sistemas robustos de verificação de idade.

Maria Lúcia Beraldo:No que se refere à erotização infantil, é muito importante esta iniciativa, tanto no controle do vestuário, quanto ao conteúdo de agressividade nos desenhos e músicas. Na internet também, afinal, existem muitas pessoas mal-intencionadas por aí. Só acho um pouco complicado manter o mesmo padrão de controle até aos 16 anos… talvez funcione no Reino unido, mas aqui no Brasil, 15, 16 anos não é mais pré-adolescente, e poderia sim, ir entrando no padrão adequado de sua fase. Mas isso deve ser algo pensado: nem reprimido totalmente nem deixado á revelia.
D.R. O que você acha dessas medidas, podemos atribuir a sexualização precoce somente a fatores como os citados acima?
MLB: Creio que não, porque nota-se que o período da infância cada vez está menor. As meninas estão entrando na puberdade e se tornando pré-adolescente-adolescentes cada vez mais cedo. Isso se deve a uma alimentação mais industrializada, rica em produtos que contribuem para o desenvolvimento corporal. Com isso, as meninas têm a menarca bem mais cedo (por volta dos 10 a 12 anos) que a de gerações atrás (era entre 12 e 14 anos). Só que um corpo amadurecido não significa uma mente amadurecida. O desenvolvimento psicoafetivo não se produz tão rápido, é preciso dar tempo ao tempo, e que os pais abracem a responsabilidade também sobre o desenvolvimento emocional de seus filhos, e não apenas dêem informação sobre doenças e contracepção ou inibam a estimulação sexual.

D.R. Caso estas medidas sejam tomadas, você acredita em uma mudança de comportamento dos jovens? O que pode influenciar no poder de decisão?

MLB: Em relação aos jovens em si, talvez a mudança seja pouco significativa… Eles provavelmente irão manter seus padrões usando outros recursos, como as outras gerações sempre o fizeram, diante de situações parecidas, em algum momento da história. O que vai influenciar na decisão é o fato de que, na adolescência, é natural questionar as regras impostas pelos adultos, é quando os jovens vão tentar criar as suas próprias convicções. Pode até que ser que quando se tornarem pais, se tornem mais caretas que os seus, mas neste momento, eles vão tentar continuar no meio midiático que já estavam até antes da restrição. E mesmo que não consigam, sua moral sexual já foi construída.Talvez a diferença seja maior nas gerações que forem chegando a partir destas alterações. Mas para ser uma mudança positiva, dependerá de vários outros fatores.

DR. Qual papel você atribui à mídia e a indústria da moda na mudança do comportamento sexual da população nas últimas décadas?

MLB: Creio que o consumismo, o imediatismo, o hedonismo e o individualismo sejam os nossos principais desafios atualmente. Eles sempre existiram, mas hoje, com a rapidez da comunicação, tem uma abrangência muito maior. E não só em função das crianças e jovens que estão entrando no mercado afetivo, mas nós, adultos, também somos susceptíveis á sedução destes valores. O erotismo, por si, brota naturalmente, de acordo com a fase, e a moda acompanhou isso sempre. E em alguns momentos, contribuindo muito para o avanço dos valores. Do contrário, ainda estaríamos usando anágua e combinação debaixo de nossos vestidos. O problema é que a moda também funciona como um código de status que, a fim de mantê-lo, faz determinadas pessoas gastarem um dinheiro que não tem, para mostrar a pessoas que elas não conhecem uma pessoa que elas não são. E isso acontece também no mundo de crianças e pré-adolescentes.

D.R. Por fim, algumas dicas aos pais para manterem um diálogo aberto com os filhos.
MLB: A educação sexual começa em casa, desde os primeiros meses de vida. O contato físico, o carinho trocado entre pais e filhos, a forma verbal como os pais se tratam e como tratam seus filhos já é uma forma especial de orientação, que constrói a autoestima, a autoconfiança e demonstra que tipo de vida afetiva a criança poderá entender como a natural no futuro. O esquema afetivo que a criança irá utilizar quando crescer estará apoiado naquilo que experimentou desde a infância, não é algo estanque, que começa no aniversário de 16 anos. Então, é importante ter em mente exatamente o que se quer, antes de partir para ação. O sexo e o erotismo não são os vilões da história, e sim seu aparecimento deslocado. Mas não se iludam: crianças têm sim, erotismo, pois faz parte da natureza humana. È razoável poupá-la do erotismo exclusivo do mundo adulto, mas o que vier a partir da criança, isto é, de suas experiências, curiosidades e descobertas pessoais, devem ser consideradas como algo natural, e por isso, não se deve reprimir com rispidez ou agressividade e nem tampouco exaltar. Uma regrinha de ouro para as situações de perguntas embaraçosas das crianças e adolescentes é sempre perguntar, antes de tentar responder, o que elas acham. Assim, vc saberá o que elas pensam sobre o assunto, acompanhando o desenvolvimento delas. E não aprofunde excessivamente em detalhes; responda somente o que elas querem saber. Isso é bom porque depois que são respondidas, elas não prestam mais atenção, e vai fazer com que ela volte para novas indagações. Afinal, o principal é que você se torne o principal ponto de referência, e não os amigos e mídias duvidosas. Lembre-se: vc não precisa ter todas as respostas na ponta da língua. Dizer que vai pensar pesquisar, e que depois poderão conversar sobre o assunto demonstra franqueza e consideração. Na dúvida, procurem sempre orientação profissional.

Aonde você ancora sua felicidade?

Aonde você ancora sua felicidade?

Postado por mberaldo - terça-feira 24 maio 2011 21:08
erotismo

Aonde você ancora sua felicidade?

Poucos dias atrás, comemoramos o dia das mães. Pela manhã, ganhei do meu marido e minha filhinha um presente que eu queria, uma bela caneta para me inspirar em minhas crônicas. Depois, fomos a uma churrascaria, já que eu estava disposta a alimentar o meu lado “Ogra” com uma picanha suculenta. Voltando pra casa, de tardinha, decidi: vou ao cinema! Um banho rápido, e eu já estava a postos – sozinha, sem ter que me preocupar se meu marido e minha filha estavam gostando tanto quanto eu – assistindo a um marvel clássico da minha infância; “Thor” (ele foi um dos meus primeiros amores rs…)!
Em um momento mais excitante do filme, ao me aconchegar na poltrona, foi que me dei conta de que no meu dia-a-dia, cuidando de casa, da clínica, da minha família e tudo mais, é incomum eu fazer, desde o início do dia, exatamente as coisas que eu gosto, no momento que eu quero, e do jeito que eu gosto. A constatação de que o meu dia estava sendo perfeito me fez perceber que eu estava intensamente feliz!
Se pararmos pra pensar bem, notaremos o quanto as pessoas buscam a felicidade, e pensam que serão felizes quando solucionarem determinado problema ou conseguirem sucesso em determinada empreitada. Muitos não percebem que ser feliz pode ser muito mais fácil do que a solução de determinados problemas. Mas, para alguns, ser feliz já é um grande problema!!! Claro, não estou pregando a alienação, mas muitas vezes, a despeito dos problemas normais que a vida nos impõe, alguns cultivam a culpa; outros, ressentimentos; outros,mais ansiosos, sofrem de expectativas…sem perceber que podemos ser bem mais independente de determinados problemas do que pensamos. Muitas pessoas carregam pesos extras que dificultam-lhes e muito – a seguirem o caminho, e impedem que o prazer desencadeado por coisas simples e frequentes se tornem o bálsamo necessário para que consigamos encontrar uma saída razoável para transpor as barreiras dos problemas que surgem.
Este pouco traquejo para o prazer do aqui-agora exacerba o papel do sexo na vida das pessoas. Afinal, ele é capaz de nos conectar conosco mesmos, a partir de nossas percepções físicas, tornando o nosso momento mais intenso. Contudo, na incapacidade de nos conectarmos com o presente, mesmo no ato sexual, surgem os manuais para o aumento do desempenho sexual, como se prazer dependesse somente de técnicas e posições mirabolantes. Não, isso se refere ao uso do tempo e da consciência. Todos reclamam da falta de tempo, da percepção de que ele passa cada vez mais rápido. Isso é natural, já que somos obrigados a assumir cada vez mais obrigações. Mas quando fazemos algo de que não gostamos, ou que somos obrigados, fazemos concentrados, justamente para não ter que fazer de novo, ou concentrados no sentimento de desagrado. Por outro lado, quando fazemos o que queremos e o que gostamos, tendemos a nos desconectar dali, pra pensarmos em problemas. È quando, diante de um prato cheio de algo que adoramos, assistimos televisão, com conteúdos que não tem nada a ver, ou tecemos conversas idem. Tendemos a não perceber o som agradável dos risos, contatos, cheiros… O orgasmo é uma forma de êxtase, mas ele não é a única. Além disso, somos no sexo a mesma pessoa que somos diante da vida. Um sexo automático, mesmo que finalizado com orgasmo, é bem menos do que um sexo de presença intensa, e qualquer situação prazerosa trará muito mais prazer quando estamos conscientes deste prazer. E a abertura deste canal de percepção redundará em experiências sexuais cada vez melhores!
Quando eu estava me preparando para o vestibular em psicologia, falava-se uma frase que era a seguinte: “enquanto você está namorando, tem um japonês estudando” rs… Agora, a frase que lhes deixo é: enquanto você está se preocupando, há pessoas ocupadas namorando – a vida.
Se o problema TEM solução, não precisa se pré-ocupar: ele tem solução. (Mas não adie a sua ação).
Se o problema NÃO TEM solução, NÃO ADIANTA você se preocupar…

Curso Intensivo Terapia Texual: Teorias e Técnicas (3a. turma!)

Curso Intensivo Terapia Texual: Teorias e Técnicas (3a. turma!)

Postado por mberaldo - segunda-feira 2 maio 2011 22:40
Sem categoria

Estão abertas as inscrições para a 3a. turma do Curso Intensivo Terapia Sexual: Teorias e Técnicas!
È a oportunidade que você, estudante ou profissional da medicina ou psicologia, estava esperando para aprimorar seus conhecimentos na área sem ter que sair da região! Ministrado pela psicóloga (UFJF) Mestre em Sexologia (UGF) Maria Lúcia Beraldo ( CRP/04MG 15471)
Veja mais detalhes em www.sexologiajf.com.br/cursos

Mulheres, máquinas de prazer!

Mulheres, máquinas de prazer!

Postado por mberaldo - quinta-feira 7 abril 2011 23:14
consultório sexologia,erotismo,orgasmo

Nas constantes comparações que ouço sobre a sexualidade feminina e masculina, muitos falam que a nossa resposta sexual é inferior á deles porque eles chegam ao orgasmo muito mais rapidamente que a gente.  Este é um pensamento que fornece justificativas para várias atitudes que contribuem para manter uma resposta sexual feminina insatisfatória (entenda aqui “lenta ou incompetente para o orgasmo”).

Acompanhe comigo: O pênis é o órgão sexual masculino de maior sensibilidade durante a penetração. O paralelo a ele, na mulher, é o clitóris, cuja função é exclusivamente  o prazer feminino. Contudo, em uma penetração vaginal, o pênis é estimulado diretamente, enquanto o órgão da mulher é apenas indiretamente estimulado. Agora, imagine se fosse diferente: imagine se, no ato sexual, o homem tivesse que esfregar seus testículos no clitóris feminino, e o pênis masculino só fosse estimulado indiretamente no contato com a barriga e região pubiana feminina… imagine como as mulheres chegariam rápido ao orgasmo e, com um largo sorriso, perguntariam satisfeitas aos seus parceiros:

-“Foi bom pra você?”.

Muitos, com certeza, diriam que não foi desta vez, outros fingiriam… Contudo, esta situação não nos coloca em condições de inferioridade: Para que o orgasmo feminino ocorra com a mesma fluidez que o masculino, é importante que a mulher estimule seu clitóris durante a penetração e saiba orientar seu parceiro a tocá-la da forma  eficiente. Uma boa estimulação no clitóris enquanto ocorre a penetração desencadeia o orgasmo e o intensifica. E isso não é tudo: ainda temos a vantagem de podermos chegar ao orgasmo várias vezes durante um encontro sexual e de várias formas, afinal, não apostamos tudo em um só local. Por isso a importância das preliminares! Nossa sensibilidade física e emocional nos torna capazes de sermos uma máquina de sentir prazer! E este é o motivo da histórica repressão sexual feminina. Portanto, não precisamos de pena, apenas de espaço na cama. E que principalmente que nós, mulheres, nos permitamos ocupar este espaço.

Próxima Página »